Falta de dentes: consequência social?

É impossível pensar na falta de dentes e não falar sobre questões sociais e econômicas, afinal, vivemos em um dos países mais desiguais do mundo.
Sociedade brasileira

É impossível pensar na falta de dentes e não falar sobre questões sociais e econômicas, afinal, vivemos em um dos países mais desiguais do mundo.

Ainda que a indústria moderna tenha criado inúmeras possibilidades de produção, planejamento e visualização. É improvável achar alguma área de atuação profissional que seja alheia aos benefícios da tecnologia.

Com a área da saúde não foi diferente: o contexto tecnológico possibilitou não só a modernização dos instrumentos mas, a resolução de casos que antes pareciam insolúveis.

A falta de dentes era considerada resultado natural da velhice, por exemplo. Casos de reconstrução facial eram direcionados a pesquisa para, quem sabe um dia, se descobrisse a possibilidade de reabilitar a vida dessas pessoas.

Mesmo que o caminho possa ter sido longo, é impressionante tudo que a tecnologia 3D trouxe para doutores e, principalmente, para pacientes. A capacidade de previsibilidade permite o auxílio da visualização precisa nos procedimentos – possibilitando menos tempo clínico e maior rapidez nos serviços prestados. Isso sem contar a implementação de processos menos invasivos.

Por mais que possamos passar horas falando sobre cases de sucesso com a tecnologia 3D, é importante trazermos o assunto para a realidade brasileira. Vivemos em um dos países mais desiguais e corruptos do mundo, não é estranho pensar nas barreiras que vão existir até a maioria dos estabelecimentos de saúde terem essa assistência tecnológica.

Até lá, que as pesquisas continuem. Que mais pessoas possam ter uma nova vida.

A falta de dentes na realidade social brasileira

Em 2015, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE divulgou uma pesquisa na qual se constatou que 11 % da população brasileira era considerada edêntula, ou seja, possuíam perda parcial ou total dos dentes – seja de forma congênita, seja de forma natural ao envelhecimento. Ainda de acordo com IBGE e Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística – IBOPE, 41, 5% das pessoas com mais de 60 anos já perderam todos os dentes.

Dois questionamentos podem ser retirados desses dados: a falta de dentes é resultado apenas do envelhecimento ou pode resultar de fatores socioeconômicos?

Os resultados sociais da falta de dentes são claros: baixa estima, isolamento e perda de qualidade de vida – fortalecendo o que, muitas vezes, foi a causa de sua situação. Dessa forma, a situação se torna cíclica.

Ao presumir a continuação das taxas de desigualdade, outro estudo estima que até 2040, 85,96% da população terá arcadas desdentadas, o que é equivalente a 64 milhões de indivíduos. Além da desinformação, a maioria da população sofre com a falta de recursos e políticas públicas de saúde bucal.

Contudo, é importante ressaltar que 39 milhões de brasileiros já usam próteses dentárias e que, sim, os procedimentos tendem a se tornar mais práticos e menos invasivos. Dessa forma, mais pessoas poderão transformar seus sorrisos.  A SmileFix possui o tratamentos personalizados e menos invasivos.

Conheça os Doutores SmileFix e nos acompanhe nas redes sociais para saber mais sobre os tratamentos.

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe!

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Share on email

Leia Mais

Nosso produto é feito para você.  Todo o processo de descoberta de um novo sorriso vai ser acompanhado de perto pelo nosso time.

© 2022 SMILEFIX - Todos os direitos reservados

siga o smilefix

Cadastre-se agora!

E receba mais informações